28 de ago de 2017

Show da Pobre Menina

Um registro do Show da Pobre Menina, promovido pelo radialista Mario Antônio da Rádio Universidade 1160 AM. Ao fundo Lojas Mazza (Feminino). Final da década de 1960, início dos anos 1970.
Foto enviada por Margareth Vieira.

Abaixo homenagem ao radialista pelotense, Mario Antonio Holvorcem, comunicador que se notabilizou por divulgar a nossa Jovem Guarda desde seu surgimento em 1965, através seu programa levado ao ar pela Rádio Universidade AM, e depois pela Alpha FM (hoje extinta): PROGRAMA ESPECIAL MARIO ANTÔNIO. Ultimamente o programa estava sendo apresentado na Rádio Cultura, aqui da cidade. Mario Antonio, do Show Faz de Conta, da campanha Pobre Menina, do MA Band e dos shows ao vivo, sempre tendo a Jovem Guarda como pano de fundo, é idolatrado aqui em Pelotas e em toda a zona sul do nosso estado, por um público imenso. 
Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=ZzDTGA8UQpc




22 de ago de 2017

A mana de Pelotas - Junho de 1931

O blog Impressões de Antanho publicou, ainda em 2012, uma foto postal, que o blogueiro diz ter comprado em uma feira da Praça XV (provavelmente no Rio de Janeiro), onde chama a foto de "A mana de Pelotas". Atrás do postal está escrito "Da mana Laurinha (ou Laurinda), Pelotas em junho de 1931". Na foto está gravado INGHES, provavelmente seja do fotografo pelotense Júlio José Inghes (que em 1942 foi ser fotografo em Bagé) ou de seu irmão que também tinha estúdio fotográfico. 

Quem seria a moça da foto postal de há 86 anos? Quem foi a mana de Pelotas? Veja foto a seguir.

Fonte: https://impressoesdeantanho.wordpress.com/2012/12/11/a-mana-de-pelotas/





21 de ago de 2017

Edifício Sulbanco e o Theatro Sete de Abril - Déc. de 50

Com o começo da verticalização do centro de Pelotas nas décadas de 30 e 40 (podemos citar o Edifício Glória e na sequência a Associação Comercial de Pelotas), que se intensificou na década de 50, surge em 1956 o Edifício Sulbanco que abrigou no térreo o Banco Industrial e Comercial do Sul [substituído na sequencia pelos bancos Sulbrasileiro (1972), Meridional (1985) e Santander (2000)], conforme pode se constatar no registro abaixo. Na volta da Praça Coronel Pedro Osório o primeiro a ser construído foi o Hotel Rex em 1952. 
Na foto pode se ver a fachada do Teatro Sete de Abril e a construção do Edifício José Del Grande (a esquerda do terreno).

Fonte das informações: O PAPEL DO COMÉRCIO NA PRODUÇÃO DA CENTRALIDADE EM PELOTAS - RS por ANDRÉ PINHO PETER, RIO GRANDE, 2010



Na placa lê-se: Edifício "SULBANCO" Futura sede da Agência do Banco Industrial e Comercial do Sul S/A. Fonte foto: YUNES, G. Cidades Reticuladas: a persistência do modelo na formação urbana do Rio Grande do Sul. São Paulo: FAU/USP, 1995 (Tese de Doutorado). 
Em outro registro, logo abaixo, podemos ver os prédios vizinhos do Theatro Sete de Abril e que antecederam os Edifícios José del Grande (esquerda Hotel Brazil, antes do hotel foi ali a sede da primeira câmara de vereadores) e Sulbanco (direita segunda câmara de vereadores).

Fachada do Teatro Sete de Abril logo após 1916, quando houve mudança na sua fachada. 





Fonte fotos da câmera: http://www.camarapel.rs.gov.br/historia/historia-da-camara/

7 de ago de 2017

Pelotas no Concurso Miss R. G. do Sul com Vera Menezes em 1961



Miss Rio Grande do Sul 1961 foi a 8ª edição do tradicional concurso de beleza feminino de Miss Rio Grande do Sul, válido para a disputa nacional de Miss Brasil, único caminho para o Miss Universo. Participaram da competição apenas treze (13) candidatas municipais no teatro Guarany,  em busca do título que pertencia à pelotense, Edda Logges, vencedora do título no ano anterior.

Disputaram o título este ano:

Caxias do Sul - Walkiria Kelsch
Guaíba - Ieda Riggel
Lagoa Vermelha - Célia Barreto da Costa
Montenegro - Marta Pereira Horn
Novo Hamburgo - Sara Mattes
Pinheiro Machado - Darlene Alves de Souza
Pelotas - Vera Maria Brauner Menezes
Porto Alegre - Maria Helena Rudiger
Santa Maria - Hilda Helena Pretto
Santana do Livramento - Lenir Thomaz Ribeiro
São Leopoldo - Nildete dos Santos
Uruguaiana - Thais Orcy Varela
Vacaria - Irlene Maria Alves Paim


A Campeã!

Vera Maria Braunner de Menezes, Miss Laranjal Praia Clube, Miss Pelotas, Miss RS, Miss Brasil e Vice-Miss Beleza Internacional.
A pelotense foi eleita Miss Rio Grande do Sul e conquistou o Miss Brasil 1961, o concurso foi realizado no Rio de janeiro, então capital do estado da Guanabara. A mineira Stael Maria da Rocha Abelha, que havia sido eleita, renunciou a coroa de Miss Brasil devido aos ciúmes do namorado. Após a conquista, Vera foi representar o Brasil no Miss Beleza Internacional em Long Beach, nos Estados Unidos onde conquistou a segunda colocação, perdendo somente para a holandesa Stam Van Baer. Após isso, foi convidada a ficar nos EUA e tentar a carreira de atriz. Mas acabou recusando por causa da distância, da família e de João Roger Damé, seu noivo e namorado desde os 12 anos de idade, com quem se casou em janeiro de 1963.

Texto Wikipédia

Vídeo cedido por:
 Cristina Fabião e TV UCPel

Agradecimento a Piero Vicenzi

3 de ago de 2017

A cara das Lojas Renner nos anos 80

Fachada da Lojas Renner em Pelotas, nos anos 80, quando o grupo só atuava no sul do Brasil e vendia de tudo: de móveis a eletrodomésticos, o conceito mudaria na década de 90. 
No link da fonte falam que a foto seria dos anos 70, porém como sabemos, e podemos constatar o calçadão já existia, então a foto nos remete uma época pós 1981, quando o calçadão foi inaugurado.

Foto postada no link http://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2016/09/o-cara-e-cara-da-renner.html

"Fundada pelo empresário gaúcho Antonio Jacob Renner em 1965, a empresa estabelecida no nicho de vestuário foi incorporando perfumaria, acessórios, móveis e eletrodomésticos em seu portfólio. Naquela época, seu capital já era negociado na bolsa de valores. A Renner pegaria carona no boom do crescimento econômico dos anos 70 e também na popularidade que ganhariam no Brasil as lojas de departamento – como a Mesbla e o Mappin. O modelo, contudo, entraria em xeque na década posterior, com a desvalorização do real, o aumento da taxa de juros e a alta da inflação. Em paralelo, o mercado de moda sofria com a informalidade e a dificuldade na importação."
Fonte: http://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2016/09/o-cara-e-cara-da-renner.html