Dê play no player acima ^ e escute músicas de Pelotas!

Dê play no player acima ^ e escute músicas de Pelotas!

19 de ago de 2015

Janela para o pretérito - Hotel Grindler e Casa Scholberg & Cia


      Muitos que passam pela esquina do Calçadão da Andrade Neves com 7 de Setembro não sabem que numa daquelas esquinas mais precisamente no sobrado em frente ao chafariz, que hoje abriga alguns comércios, teve uma pensão chamada "CASA DE PENSÃO CARLOS GRINDLER" inaugurada em 27 de junho de 1897. Segundo o jornal Correio Mercantil era a “Única em seu gênero em Pelotas. Possue excellentes commodos, vasto refeitório decorado, sala reservada, etc. Fornece boa comida e tem sempre bons líquidos em deposito. Garante serviço correcto e sem delongas, garantindo o proprietário o escrupuloso cumprimento de seus contractos.”, então em fevereiro de 1898 após reformas passou a chamar-se de Hotel Grindler. O local antes de pensão chegou a ser sede do "CLUB CAIXEIRAL", que só teve seu local definitivo em 1902, na construção do atual prédio pelo arquiteto pelotense Caetano Casareto. Pelotas já possuía hotéis desde 1840, sendo pioneiro o Hotel Alliança (1843). Junto com o hotel, na parte debaixo do sobrado, localizava-se a casa Scholberg & Cia, especializada na importação de armas, metais finos, talheres, cutelaria fina, ferragens, apetrechos de caça, munições e etc.


Andrade Neves com 7 de Setembro (hoje calçadão), onde hoje se localiza nosso chafariz "As meninas" Casa onde foi a antiga Casa Scholberg & Cia (parte de baixo) e Hotel Grindler (parte de cima).
Scholberg & Cia e o Hotel Grindler (direita) na fachada uma espingardas que faziam companhia ao Bule monstro, que 1914, era na esquina da frente.

Anúncio da casa Scholberg & Cia


2 comentários:

  1. Muito bom reviver a História. Para construirmos melhor o futuro é necessário sempre conhecer o passado.

    ResponderExcluir

Olá tudo bem? Obrigado por deixar aqui seu comentário. Qualquer problema entre em contato direto com a página através do e-mail preteritaurbe@hotmail.com. Se quiser deixe também sua crítica construtiva. Abraço e viva Satolep!