Dê play no player acima ^ e escute músicas de Pelotas!

DÊ PLAY NO PLAYER ACIMA ^ E ESCUTE MÚSICAS DE PELOTAS!

10 de jul de 2015

Reminiscências do Jockey Club de Pelotas Parte 2

História do Jockey Club de Pelotas


O Jockey Club de Pelotas foi fundado em 22 de junho de 1930 por um grupo de amantes do turfe que criou a Associação Jockey Club de Pelotas. A entidade, de caráter civil, nasceu pela liderança do coronel Zeferino Costa Filho e tinha como objetivo promover o melhoramento do puro sangue inglês (PSI). A data da fundação foi marcada por assembleia nos salões do Clube Comercial com a presidência de Joaquim Francisco Assis Brasil que palestrou falando ao público presente sobre as vantagens sociais, morais, culturais e esportivas da criação de cavalos. Na mesma assembleia foi eleita uma comissão provisória para estudar o projeto dos Estatutos e Código de Corridas. Uma semana depois aconteceu uma nova assembleia, onde definiram a primeira diretoria, presidida por Flávio de Souza e que teve como missão dar os primeiros passos para consolidação da entidade. No dia 22 de junho de 1932 foi eleita a segunda diretoria, liderada pelo médico José Inácio do Amaral que lançou a pedra fundamental do pavilhão (19 de setembro de 1933) do JCP e foi responsável pela demarcação das pistas e nivelamento do terreno, dando início a obra do hipódromo. Durante este mandato foram realizadas as carreiras rasas que com o apoio do Coronel Zeferino Costa foram oficializadas.

A diretoria seguinte assumiu em junho de 1934 e teve a frente o cirurgião Ariano Requião de Carvalho, responsável pela implantação dos páreos clássicos e da construção do pavilhão central que foi inaugurado em dezembro daquele ano.

E foi em março de 1936 que nasceu o Grande Prêmio Princesa do Sul com a premiação de 20 mil réis para o primeiro colocado. Naquela época o sucesso foi tamanho que o evento bateu recorde de apostas no Rio Grande do Sul. Durante longos anos o JCP foi palco das relações de sociabilidade da elite pelotense do século XIX. Era o local de lazer mais frequentado pela sociedade desta época nas tardes de domingo. Em seus tempos áureos chegou a ter 1,2 mil sócios. O Grande Prêmio Princesa acabou por se tornar a mais tradicional corrida do interior do Estado, com uma média de público de 15 mil espectadores a cada edição.
Fonte do texto acima: http://www.jcpelotas.com.br/index.php/o-clube/historia


O ano é 1962, no majestoso Hipódromo da Tablada, em tarde de GP Princesa do Sul, sendo ovante o tordilho LORD CHANEL, franco favorito do publico apostador, enormes filas nos guichês de apostas. O menino é Paulo B. Fiss, enquanto os dois de chapéu, o de camisa branca é Humberto Santos, já o outro chamavam por Pózinho, e ainda o senhor Andrade, todos já falecidos e por incrível que pareça, os dois primeiros, por acidente de automóvel ao atravessarem a rua, Humberto na avenida Salgado Filho, enquanto o outro na avenida Argentina, atualmente Fernando Osório, nas imediações da Praça 1º de Maio, cógnita por Praça do Colono. Foto e texto: PAULO B. FISS


Em Jockey Club de Pelotas, Hipódromo da Tablada, em março de 1961, efeméride do Grande Prêmio Princesa do Sul, saindo-se laurícomo o cavalo argentino STAR MARON, tendo a frente debruçados na tela os amigos: Vargas de chapéu Panamá, Lindolpho Longchamp ao centro e Frederico Fiss Filho. Épocas áureas do turfe pelotense, com hipódromo lotado e mais de 20 mil pessoas nas dependências, coisa que não voltam mais. Foto e texto: PAULO B. FISS


Chegada do Grande Prêmio Princesa do Sul /1969 vencido pelo cavalo castanho GOBELIN por fora, e ficando em 2º KING TWIST o tordilho, que tiveram um linheiro final de 600 metros cabeça a cabeça, até o postremo galão, cruzando o disco de sentença, praticamente igualados, tudo indicando que estariam empatados, mas na revelação do "photochard" de Glaiton Ruas, por escassa margem vence Gobelin por ponta de focinho, cavalo este que pela única vez consegue vencer King Twist, dentre todas as competições que correram juntos, e num final emocionante, pleno de muitas ovações entre o público mirone e apostador. Páreo inesquecível para quem assistiu esta prova magna do turfe pelotense. Foto e texto: PAULO B. FISS


Grande Prêmio Princesa do Sul


Grande Prêmio Princesa do Sul é o evento turfístico mais importante do Jockey Club de Pelotas, e é disputado no Hipódromo da Tablada em pista de areia solta, desde sua primeira realização. Reúne cavalos thoroughbred de três anos e mais idade. Inscrevem-se animais em campanha no Brasil, e, pela proximidade geográfica, Uruguai e Argentina, sendo para muitos destes animais a porta de entrada para o Brasil. Entre os ganhadores estão animais de campanha clássica e futuros reprodutores.


A primeira disputa ocorreu em 1936, na distância de 2.450m, sendo vencedor o uruguaio Cabileño. De lá para cá, apenas não foi realizado em apenas duas ocasiões, 1968, em virtude de interrupção do trânsito de equinos no Brasil e em 2010. Atualmente é disputado em 2.200 metros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá tudo bem? Obrigado por deixar aqui seu comentário. Qualquer problema entre em contato direto com a página através do e-mail preteritaurbe@hotmail.com. Se quiser deixe também sua crítica construtiva. Abraço e viva Satolep!